Capital de Giro é o valor necessário para que a empresa se mantenha funcionando, certo?

Esse valor engloba o valor em caixa, depósitos em contas bancárias, contas a receber, etc. Sendo assim, ele determina quanto de reserva financeira se tem disponível para que a organização cumpra seus deveres e faça novos investimentos, mesmo diante de contratempos como inadimplência de clientes ou mesmo uma diminuição nas vendas. Ele é o sangue que circula nas veias da empresa, metaforicamente falando.

E COMO CALCULAR O CAPITAL DE GIRO?

Digamos que você tenha aberto uma empresa de cookies gourmet. Para que você sequer abra as portas da loja, é preciso ter em estoque: farinha, chocolate, fermento, óleo… Todos os ingredientes necessários para fazer os cookies, além, claro, de água, suco, refrigerante, embalagem para os cookies, etc. Esse investimento nos ingredientes em estoque é um dinheiro parado que precisa ser financiado por uma fonte. Normalmente, quem financia esses recursos, nesses casos, são os próprios fornecedores.

Ok, um belo dia você recebeu uma encomenda grande para um aniversário, o cliente pagou parcelado no cartão de crédito. Você sabe que só vai ver a cor desse dinheiro pelo menos daqui 30 dias, não é? Esse dinheiro pendente que está contabilizado na conta de Contas a Receber também é um dinheiro parado e que precisa de financiamento.

Então perceba que os itens que estão no Balanço Patrimonial e nas contas do Ativo Circulante, tais como Estoques e Contas a Receber, são investimentos necessários para que a empresa opere, ou seja, o Capital de Giro. A conta de Fornecedores a Pagar no Balanço Patrimonial está no grupo de Passivo Circulante. Existem outras que contribuem nesse financiamento como as Contas a Pagar, Funcionários e Impostos a Recolher.

Você pode calculá-lo utilizando a seguinte fórmula: Capital de Giro = Ativo Circulante ➖ Passivo Circulante.

Onde “Ativo Circulante” são, de forma simplificada: caixa, bancos, aplicações financeiras, contas a receber, etc, 

e “Passivo Circulante” são fornecedores, contas a pagar, empréstimos, etc.

O controle do capital de giro é essencial para o bem estar da empresa e deve ser avaliado todos os dias, pois precisa ser observado no momento atual em que se encontra o negócio. Apesar de parecer simples esse cálculo pode ser extenso e é muito importante que seja feito corretamente, nessa hora é bom contar com a ajuda de profissionais qualificados. Conte com a DMF!

Recommended Posts

No comment yet, add your voice below!


Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *